sábado, 20 de julho de 2013

BLINDADOS USADOS

Menor custo e pronta entrega são vantagens para quem opta por esse tipo de proteção
A compra de um carro blindado deixou de ser um sonho de consumo e, para muitas pessoas, se tornou um imperativo para se proteger contra a violência crescente, principalmente nos grandes centros urbanos. “O ideal é um carro zero, mas o blindado usado também é uma boa opção para quem busca segurança, desde que se tomem alguns cuidados. O menor custo com relação à blindagem de um veículo novo é uma das vantagens de quem faz essa escolha” afirma Christian Conde, presidente da Associação Brasileira de Blindagem (Abrablin).
O executivo da Abrablin diz que a opção também é vantajosa para quem não pode esperar o tempo necessário para a realização do serviço de blindagem. ”Nas empresas devidamente registradas, o período para se blindar um veículo chega a 30 dias. Se há urgência, o melhor é optar por um veículo usado já blindado, sem esquecer, antes, de analisar a procedência do carro e a idoneidade da blindadora que executou o serviço. Essa precaução evita problemas com empresas ‘piratas’”, explica Conde.
Outros cuidados básicos, entretanto, devem ser tomados na hora de adquirir um usado com proteção blindada. “Todos os produtos com resistência balística são controlados pelo Exército. As empresas que produzem, comercializam ou realizam qualquer outra transação comercial com este tipo de produto (mesmo as locadoras de veículos blindados) precisam possuir o Certificado de Registro (CR) junto ao Exército. Sem esse documento, essas empresas funcionam irregularmente. Deve-se verificar se o revendedor possui o certificado”, alerta o presidente da Abrablin.
“A empresa também é obrigada a entregar um Termo de Responsabilidade a seus clientes. Todos os materiais utilizados na blindagem e seus respectivos números de ReTEx devem estar discriminados neste documento”, afirma. O ReTEx (Relatório Técnico Experimental) é emitido pelo Exército. Ele comprova que a empresa que produziu o material providenciou os testes exigidos.
Atenção na hora da compra
Confira outras orientações da Abrablin:
– É preciso conferir se a blindagem foi realizada em todas as partes do veículo. Não só o vidro, mas toda a cabine deve receber a proteção. A blindagem parcial é proibida pelo Exército.
– Antes de efetuar a compra, deve-se observar a suspensão e os freios do carro. O excesso de peso, conseqüência da blindagem, aumenta o desgaste dessas peças e reduz o desempenho.
– Inspecione os vidros e verifique se há bolhas. O vidro blindado é formado por várias lâminas. O deslocamento de alguma delas, chamado de delaminação, provoca o surgimento dessas bolhas, o que reduz a resistência balística. Dependendo da situação, será necessária a troca do vidro.
– Antes de concretizar o negócio, deve-se observar se a blindadora que efetuou o serviço ainda existe. Se a empresa já tiver fechado, não há a quem recorrer em caso de defeito. Além disso, o veículo perde valor no mercado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário